terça-feira, 3 de abril de 2012

Conversando sobre Arte Entrevistado Alexandre Mazza


" Mazza"


   1969

  Carne, alma e ossos.

  1.72 mts


Alexandre Mazza vive e trabalha no Rio de Janeiro, é representado pela Luciana Caravello Arte Contemporânea. Obrigado Alexandre, parabéns pela belíssima exposição.



Fale algo sobre sua vida pessoal.
Nasci em Ponta-Grossa Pr. Mas como sou filho de pai militar mudei muito de cidades durante toda minha infância.Até que aos 16 anos meu pai foi transferido e eu fiquei em São Paulo morando com uns amigos bem mais velhos,todos músicos profissionais.De São Paulo vim para o Rio, e aqui estou a 23 anos.

Como foi sua formação artística?
Minha trajetória foi um pouco atípica, pois trabalhei 18 anos como músico, produtor e compositor, a passagem para as artes visuais foi praticamente como uma visão, eu estava passando um tempo em Paris repensando a minha vida e carreira.Quando por um momento andando pela rua, passei no meio de 2 espelhos acendendo e apagando um isqueiro e o efeito da chama repetindo pelo infinito( causado pelos espelhos um de frente para o outro) mudou completamente o rumo da minha vida, fiquei obsecado com a ilusão de ótica e o efeito poderoso que a "Luz" em todos os sentidos tem, inclusive o espiritual.Desde então abandonei tudo o que fazia e comecei a pesquisar, estudar e produzir como um alucinado! Minha única ocupação é a Arte.



Que artistas influenciam seu pensamento?
James Turrel, Dan Flavin, Éder Santos, Anish Kappor, Robert Irwin, Olafur Eliasson. E fui recentemente apresentado aos livros do Gaston Bachelard pela Daniela Labra (curadora) com a qual tenho um grupo de estudos.

Como você descreve sua obra?
Meu trabalho é quase sempre um comentário pessoal sobre a minha trajetória, sobre a transformação, a metamorfose. Na verdade é sobre a jornada de todos como ser humano. Afinal quantas transformações em todos os sentidos nos pegam durante todo "processo"?


Além dos estudos sobre arte que outros estímulos influenciam em seu trabalho?
A Daniela Labra escreveu o texto do catálogo da minha individual, e escreveu que o meu olhar se formou graças ao ouvido. Eu como músico sempre compus baseado no que ouvia de histórias no dia dia, como artista visual eu realmente transferi para o olhar as minhas influências, mesmo que na maioria das vezes seja um olhar para dentro.
Fora isso eu sou um alucinado por livros de arte, como não tenho uma formação acadêmica em artes plásticas, eu literalmente devoro os livros, principalmente dos artistas que mais me tocam.
Fui apresentado aos livros do Gaston Bachelard, que realmente estão mudando muito meu pensamento na hora de produzir.


Você fez uma individual no Rio de Janeiro (Galeria Luciana Caravello), como foi?
Sim, foi a minha 1ª individual, " Em cada gota há um arco-íris" de 2/2 a 10/3.Foi maravilhoso pela liberdade que a Luciana Caravello me deu de usar toda a Galeria.Foram expostas 28 obras e uma instalação em uma sala no 3º andar.Que também estará montada na próxima Art-Rio.Tive a honra de receber o Gilberto Chateaubriand, que adquiriu 2 obras para coleção G.C. MAM.Uma delas estará exposta a partir do dia 21/3 até 21/5 na mostra "Novas Aquisições 2010-2012 Gilberto Chateaubriand MAM.

Você tem uma rotina de trabalho?
Não digo uma rotina, mas eu trabalho e produzo muito, por usar diversos materiais e suportes diferentes, trabalho muito com marcenaria, pintura automotiva, corte a laser, e agora estou trabalhando com video e projeções.Eu não tenho como ter tudo isso em um espaço só. Então produzo em vários lugares diferentes, preciso de muita organização e programação para que tudo funcione.

É possível viver de arte no Brasil?
É difícil responder a esta pergunta, pois cada um tem a sua história.Seria ótimo se todo sacrifício, dedicação, estudo e trabalho de todos os artistas fossem compensados com uma carreira 100% remunerada, mas sabemos que infelizmente não é assim que funciona.
No meu caso, eu trabalho desde o começo da minha carreira com a Luciana Caravello , que me representa no Rio e São Paulo.E tem sido ótimo. Hoje eu vivo 100% de arte.



O que é neccesário para um artista tornar-se um ícone?
Acredito que o artista, seja de qual área ele for, precisa se manter fiel aos seus pensamentos e sentimentos,sempre serão muitas as críticas e dúvidas.O importante é manter-se firme, vivenciar e trabalhar muito.Eu acho que o artista é apenas um instrumento. Eu não trabalho pensando em me tornar um ícone, acho que o sucesso é consequência.



Qual sua opinião sobre as Feiras de Arte?
Eu sou apaixonado pelas feiras, já participei de três SP-Arte e a Art-Rio no ano passado. É uma oportunidade de ver de perto o que os artistas estão produzindo, pois estão as principais galerias do país e algumas internacionais.Adoro andar por tudo, entrar várias vezes no mesmo espaço. Estão artistas, galeristas, curadores, colecionadores...todo mundo está alí! Todas as esferas.



Quais são seus planos para o futuro?
Como estou trabalhando com dimensões maiores e com instalações, estou viabilizando a construção de um espaço grande.No mais não planejo muito o futuro...vou trabalhando!


O que você faz nas horas vagas?
É muito difícil para mim me desligar do trabalho, então sempre que posso gosto de chamar os amigos para beber comigo em casa, não saio muito. Tento sempre separar uma verba para pelo menos uma vez por ano sair e ver um pouco o que está acontecendo fora do Brasil.




Metamorfose 2, 2012. Madeira, cilindros de acrílico, fotografia e lâmpadas. 80x80x18 cm.








Metamorfose 2, 2012.  Madeira, cilindros de acrílico, fotografia e lâmpadas. 80x80x18 cm.





Metamorfose, 2012. Pintura automotiva sobre marcenaria, borboleta "in natura", lente de acrílico e lâmpadas fluorescentes. 60x60x15 cm







Metamorfose, 2012. Pintura automotiva sobre marcenaria, borboleta "in natura", lente de acrílico e lâmpadas fluorescentes. 60x60x15 cm.





Flavin, 2012. Mármore e neon. 3 peças com 1,20.




Cubos, 2012. Mármore macico e neon. 38x38x38 cm





Atlântica-da, 2012. Pintura automotiva sobre madeira, acrílico, monitor e trilha sonora.97x71x68 cm.






Atlântica-da, 2012. Pintura automotiva sobre madeira, acrílico, monitor e trilha sonora.97x71x68 cm.





Anjo do mar, 2012. Caixa de madeira, acrílico modificado e lâmpadas fluorescentes. 2.00x1.10x0.20 mts





Um, 2012. Pintura automotiva sobre marcenaria, mármore, acrílica e led. 32x32x38 cm.






Em cada gota há um arco-íris. 2012. Vidro, plástico, luz e água. Instalação.







Água viva, 2012. Pintura automotiva sobre madeira, acrílico, monitor de LED e trilha sonora. 68x42x20 cm.







Água viva, 2012. Pintura automotiva sobre madeira, acrílico, monitor de LED e trilha sonora. 68x42x20 cm.



Exposições coletivas e feiras:




* SP-ARTE 2009 - Galeria Arte em Dobro - RJ

* Artista convidado para instalação na R:Gabriel Monteiro da Silva-SP na semana do design FAAP - SP

* SP - ARTE 2010 - Galeria Arte em Dobro - RJ

* 3º Salão de Artes de São José do Rio Preto - SP
* 2011 - Coletiva " Proposição " Luciana Caravello Arte Contemporânea - Curadoria Daniela Labra

* SP - ARTE 2011 - Luciana Caravello Arte Contemporânea

* ART - RIO 2011 - Luciana Caravello Arte Contemporânea

* Nova Escultura Brasileira - Caixa Cultural - RJ .

* Coletiva " Sem Limites " - SIM Galeria - Curitiba - PR

* Coletiva " Verão " - (terceira pessoa do plural do verbo ver, futuro do presente). Galeria da Gávea - Rio de Janeiro


* Coletiva "Somatório Singular" - curadoria " Maria Cristina Burlamaqui " - Galeria Murilo Castro - Belo Horizonte


* Novas Aquisições 2010-2012 Gilberto Chateaubriand MAM.



Exposição Individual:
* 2012 - 02/fevereiro - Primeira individual " Em cada gota há um arco-Iris " - Luciana Caravello Arte Contemporânea












Um comentário:

Alexandre Mazza disse...

Obrigado pela oportunidade Márcio, sucesso e um grande abraço!!! Mazza

Maurizio Cattelan

Maurizio Cattelan
Now